FC Barcelona e Catalunha é uma relação evidente; de tal forma que à partida ninguém estranharia que a imagem do clube fosse usada para promover a região como destino turístico.

Na sequência de uma parceria com o emblema culé, o Turismo da Catalunha, uma entidade dependente da Generalitat (governo autonómico), lançou a campanha «Fans meeting Fans» para fomentar Barcelona como destino, em que dois irmãos mexicanos vencedores de um passatempo envergam as camisolas blaugrana, veem um jogo em Camp Nou e visitam o museu do clube. O vídeo promocional termina com a mensagem «Se sentes o FC Barcelona, sentes a Catalunha».

O Barça tem uma notoriedade ímpar como maior embaixador da região e representa um impacto económico que representa 1,5 por cento do PIB da segunda maior cidade espanhola (segundo dados de junho de 2016 da Universidade de Economia da Catalunha), gerando cerca de 900 milhões de euros em receitas de visitantes. Pelo que clube e governo autonómico têm uma parceria para divulgar a região fora de portas.

No entanto, a iniciativa motivou uma reação indignada de adeptos e da direção do Espanyol, segundo clube da cidade condal, em termos sociopolíticos conotado bem mais com o unionismo a Espanha do que com a causa autonómica e até independentista bem patente na história do FC Barcelona.

Veja o video:

O Espanyol acusou o governo catalão de favorecimento ao Barcelona, «em detrimento de 18 mil entidades desportivas que são orgulhosamente representantes da região», e exigiu o cancelamento da campanha, o que veio a acontecer, com a Generalitat a reagir publicamente: «Pedimos desculpas a alguém que se tenha sentido prejudicado pela campanha de promoção motivada por uma parceria entre o FC Barcelona e o Turismo da Catalunha.»

A polémica podia ter-se resumido a isto. Mas acabou por ser bem mais divertida. É que se o Barça é a Catalunha, então o Espanyol considera-se da Samoa e faz a devida promoção turística do arquipélago do Pacífico, do outro lado do mundo...

Vai daí que os «periquitos» não se ficaram apenas pelas críticas ao governo regional e reagiu à polémica com uma campanha bem-humorada que contou com a colaboração de muitos dos seus jogadores, que sob o lema #wefeelSamoa partilharam no Twitter mensagens e imagens cheias de ironia.

«Aqui no coração da Samoa, a trabalhar com o maior goleador de todos os tempos desta bonita terra», escreveu o avançado Álvaro Vázquez, acompanhado por Raúl Tamudo, antiga glória dos blanquiazules.

Roberto Jímenez, guarda-redes espanhol que atuou no Benfica, também entrou na paródia e através da sua conta oficial no Twitter publicou uma foto em que escreveu: «Aqui na Samoa as macas também têm um buraco.»

Outros colegas equipa da equipa orientada pelo ex-técnico do Benfica Quique Flores, onde atua também o defesa-central mexicano cedido pelo FC Porto Diego Reyes, aproveitaram o assunto para lançar as suas farpas: como fizeram Javi Lopez, Gerard Moreno, Víctor Sánchez. E o clube ajudou à festa, com vários tweets alusivos ao tema, num deles fazendo menção aos seus 116 anos de história.

Sérgio Pires