O coordenador dos deputados socialistas eleitos pelo Círculo do Porto, Fernando Jesus, disse à agência Lusa que o PS não perdoa à presidente da Câmara de Felgueiras, Fátima Felgueiras, o facto de a autarca ter fugido à justiça em Maio de 2003.

«Foi o erro capital da Dra. Fátima Felgueiras. O PS, mesmo a nível nacional, não lhe perdoa. Foi expulsa porque somos um partido de homens e mulheres livres e democratas mas a liberdade e democracia implica que se acatem os tribunais. Por razões que ela explicará, abdicou desse princípio e fugiu às suas responsabilidades, coisa com a qual o PS não pactuou», afirmou.

Fernando Jesus falava após uma visita de deputados do PS ao Concelho de Felgueiras, cinco anos depois de Francisco Assis, então líder da Federação do Porto, ter sido agredido por alegados apoiantes de Fátima Felgueiras.

Na altura Fernando Jesus, conjuntamente com Agostinho Gonçalves, também deputado do PS, procuraram proteger Francisco Assis nas ruas de Felgueiras.

Os deputados tinham-se deslocado a esta cidade para explicar aos militantes locais a razão pela qual a Federação do PS tinha retirado a confiança política à presidente da autarquia, depois de o Tribunal da Relação de Guimarães ter decretado a prisão preventiva da presidente eleita.

«Foi uma noite que hoje recordo como um momento trágico que jamais esquecerei na minha vida, porque foi dramático», acrescentou Fernando Jesus.

Salientou ainda que nunca os membros da Federação de então tinham pensado que pudessem ser recebidos de forma tão agressiva por camaradas do mesmo partido.

Fernando Jesus mostrou-se satisfeito com o trabalho realizado pelo partido em Felgueiras após a derrota eleitoral nas autárquicas de 2005, quando Fátima Felgueiras foi reeleita com maioria absoluta.

«Foi possível nestes dois anos esquecer as marcas do passado e isso é o mais importante», realçou, referindo-se ao trabalho da actual Concelhia liderada por Eduardo Bragança.

Para o deputado, «é tempo de os felgueirenses saberem tirar ilações dos comportamentos da Dra. Fátima, sobretudo quando abandonou a população».

«A fuga para o Brasil foi um caso único na democracia portuguesa e, por isso, deve fazer reflectir os felgueirenses e todos os portugueses», concluiu.

O grupo de deputados do PS, que incluía o líder da Federação, Renato Sampaio, esteve em duas instituições de solidariedade social do Concelho ¿ Misericórdia de Felgueiras e Casa do Povo de Borba de Godim ¿ e duas empresas dos sectores de calçado e de vestuário, no âmbito das visitas de trabalho que o grupo parlamentar está a realizar a municípios do Distrito do Porto.

No final, o líder da Federação, Renato Sampaio, disse estar seguro de que o PS vai encontrar um projecto credível com protagonistas credíveis para vencer as autárquicas de 2009 em Felgueiras.
Portugal Diário / JRS