O Ministério Público pediu à Assembleia da República o levantamento da imunidade parlamentar de André Ventura, para poder constituir o presidente do Chega arguido e interrogá-lo a propósito de um jantar-comício em Braga, durante a campanha para as Presidenciais, em que estavam presentes 170 pessoas, num espaço fechado, violando as regras do estado de emergência. Em causa, sabe a TVI, estará um crime de desobediência.

Os apoiantes do candidato presidencial do Chega reuniram-se em ambiente festivo, num jantar-comício, em Braga, com música e cânticos, uma iniciativa que a candidatura afirmou cumprir as regras da Direção-Geral de Saúde, sendo que as autoridades de saúde vieram mais tarde dizer que o parecer dado tinha sido negativo.

A GNR acabou por identificar o proprietário do espaço.

Com cerca de 170 pessoas distribuídas em mesas redondas, o jantar-comício que decorreu em Braga foi uma das maiores iniciativas entreportas da candidatura de André Ventura.

Henrique Machado