O presidente do PSD, Rui Rio, foi hoje eleito líder parlamentar do partido com 89,87% dos votos, cargo a que concorria sem oposição.

De acordo com fonte oficial do partido, votaram os 79 deputados do PSD, tendo 71 votado “sim” e registando-se seis votos brancos e dois nulos.

Era a votação que eu estava à espera, mais voto menos voto, não estava à espera que houvesse unanimidade, porque é muito difícil haver unanimidade, mas estava à espera que houvesse uma grande aceitação, que foi o que aconteceu”, afirmou aos jornalistas, no parlamento, no final da eleição.

Rio reiterou tratar-se de uma “direção de transição até ao congresso”, dizendo ter escolhido pessoas “já com experiência parlamentar”.

Questionado se o futuro líder parlamentar poderá sair desta direção, Rio apenas deixa uma certeza: “Eu não serei, depois quem vai ser logo veremos, pode ser desta direção ou não”.

Rui Rio irá substituir no cargo Fernando Negrão, eleito em 22 de fevereiro de 2018, com menos de 40% de votos favoráveis, numa legislatura em que o PSD tinha 89 deputados.

O anterior líder parlamentar, Hugo Soares, tinha sido eleito em julho de 2017 com 85,4% de votos, correspondentes a 76 votos favoráveis, 12 votos brancos e um nulo.

Antes dele, Luís Montenegro exerceu funções de líder parlamentar do PSD desde junho de 2011, quando foi eleito com 86% dos votos, tendo sido sucessivamente reeleito em outubro de 2013, com 87% dos votos, e em novembro de 2015 com quase 98% dos votos, sempre sem oposição.

Rui Rio, que é recandidato à presidência do PSD, já disse ter a intenção de dirigir a bancada apenas até ao próximo congresso por não querer que aconteça a um futuro líder o que lhe aconteceu a si, quando há dois anos teve de afastar Hugo Soares do cargo após assumir a direção do partido.

Rui Rio terá seis vice-presidentes na direção da bancada (menos um do que teve o seu antecessor, Fernando Negrão): como primeiro ‘vice’ o deputado Adão Silva (Bragança), seguindo-se Carlos Peixoto (Guarda), Luís Leite Ramos (Vila Real), Clara Marques Mendes (Braga), Ricardo Baptista Leite (Lisboa) e Afonso Oliveira (Porto).

Adão Silva e Carlos Peixoto transitam da anterior direção parlamentar, liderada por Fernando Negrão, enquanto Luís Leite Ramos já tinha sido ‘vice’ sob a presidência de Hugo Soares.

Como secretários da direção do grupo parlamentar, a lista de Rio integra Isaura Morais, que foi cabeça de lista por Santarém, Catarina Rocha Ferreira (Porto) e o secretário-geral adjunto Hugo Carneiro (também deputado pelo Porto).