O Bloco de Esquerda (BE) informou hoje ter questionado o Governo sobre as recentes "descargas ilegais" no rio Sousa (afluente do Douro), em Recarei, Paredes, no distrito do Porto.

O BE "quer saber se o Governo tem conhecimento da recente descarga, de 04 de setembro, e se o SEPNA [Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente] da GNR, a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, a Agência Portuguesa do Ambiente, ou outras entidades competentes foram notificadas e fazer análises", lê-se num comunicado enviado hoje à Lusa.

A deputada Maria Manuel Rola, que subscreve a pergunta ao executivo, "pretende saber qual o resultado das análises e que medidas prevê o Governo adotar para evitar que se repitam descargas poluentes no rio Sousa".

Uma grande quantidade de peixes foi encontrada morta no rio Sousa, na freguesia de Recarei, concelho de Paredes, no dia 04 de setembro", recorda o partido, acrescentando que, "de acordo com relatos da população local, a morte dos animais foi causada por uma descarga poluente nas proximidades do lugar de Além do Rio".

O BE "tem alertado para a existência de episódios de poluição recorrentes no rio Sousa, tendo, na presente sessão legislativa, questionado por escrito o ministro do Ambiente e da Ação Climática sobre descargas poluentes ocorridas em agosto de 2020".

Em 2018, assinala-se ainda, "este grupo parlamentar também inquiriu o Governo sobre situações de poluição no rio Sousa", concluindo que, "depois de todos estes alertas, é incompreensível verificar que as descargas poluentes naquele rio persistem".

Para a deputada, "as descargas poluentes no rio Sousa "acarretam também riscos para a saúde pública" e põem "em causa a integridade ecológica, a fauna, a flora e os valores ambientais daquele sistema fluvial".

O Bloco de Esquerda entende ser necessário "apurar responsabilidades" e "eliminar, definitivamente, as fontes de poluição do rio Sousa".

/ BC