O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu a gratuitidade das fichas de exercícios para todos os alunos do ensino obrigatório, à semelhança dos manuais escolares, como forma de “valorização da escola pública”.

No sentido da valorização da escola pública o PCP bater-se-á para que a gratuitidade seja alargada às fichas de exercícios para todos os alunos do ensino obrigatório assim como outras propostas para reforço das condições de aprendizagem e de funcionamento das escolas”, declarou Jerónimo de Sousa, num vídeo enviado à imprensa.

O líder comunista sustenta que “vários estudos apontam as condições socioeconómicas das famílias e as dificuldades dos pais acompanharem os filhos em idade escolar como uma das principais causas para que se mantenham elevadas taxas de abandono e insucesso escolar”.

Jerónimo de Sousa lembra que a consagração da distribuição gratuita dos manuais escolares no ensino obrigatório, “decorreu de uma proposta apresentada ao longo de anos pelo PCP” e que esta “se efetivou na legislatura anterior”.

Para o PCP, esta foi uma medida “de enorme progresso e de justiça para as crianças e suas famílias, contribuindo decisivamente para a concretização do princípio constitucional de gratuitidade do ensino”.

Contudo, para os comunistas, este princípio “continua por garantir, devido ao facto das famílias continuarem a suportar outros custos, nomeadamente com as fichas de exercícios”.

Agência Lusa / HCL