O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, repreendeu, nesta quinta-feira, o deputado único do Chega, André Ventura, por utilizar com “demasiada facilidade” as palavras “vergonha” e “vergonhoso” nas suas intervenções no Parlamento.

André Ventura intervinha no debate sobre a remoção de amianto de edifícios públicos e estava a terminar o seu discurso quando criticou o Governo por ter verbas para subsídios vitalícios, mas não para a remoção daquele material.

Uma vergonha”, afirmou o deputado do Chega, já entre alguma vozearia dos deputados.

Ferro Rodrigues afirmou então que Ventura “usa muitas vezes” as palavras “vergonha” e “vergonhoso”, quando se dirige à câmara.

O senhor deputado utiliza com demasiada facilidade as palavras vergonha e vergonhoso, o que ofende muitas vezes este parlamento e ofende-o a si também”, afirmou Ferro Rodrigues, aplaudido pela bancada do PS.

André Ventura pediu a palavra para “defesa da honra”, dizendo que um deputado pode utilizar "as expressões que entende" em nome "da liberdade de expressão", mas não ficou sem resposta do presidente da AR.

Não há liberdade de expressão quando se ultrapassa a liberdade dos outros, que é o que o senhor faz."

E informou-o que já tinha esgotado o tempo.

É uma vergonha o que se está a passar neste Parlamento", respondeu André Ventura.

O deputado do Chega marcou para as 17:00 uma conferência de imprensa sobre o assunto, na Assembleia da República.

Ventura pede audiência a Marcelo

André Ventura acusou  o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, de o ter mandado calar durante um debate parlamentar e anunciou um pedido de audiência urgente ao Presidente da República.

O parlamentar de extrema-direita declarou que espera ainda hoje um pedido de desculpa formal por parte do segundo magistrado da nação.

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, advertiu o deputado do Chega por utilizar com "demasiada facilidade" as palavras "vergonha" e "vergonhoso" nas suas intervenções, acrescentando que é algo de desrespeita o parlamento e o próprio.

André Ventura estava a intervir no debate sobre a remoção de amianto de edifícios públicos e terminou discurso com críticas ao Governo por ter verbas para subvenções vitalícias, mas não as despender para a remoção daqueles materiais perigosos.

Uma vergonha", afirmou o deputado do Chega, já entre alguma vozearia dos deputados.