O antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes e o candidato do Aliança às Europeias, Paulo Sande, sofreram um acidente de viação na A1, nesta quarta-feira, ao km 136, na zona de Leiria, no sentido Norte-Sul, sabe a TVI. Santana Lopes vai continuar internado, mas Paulo Sande já teve alta do hospital de Coimbra.

Ao que a TVI apurou, Santana Lopes ficou encarcerado no veículo, que conduzia, e Paulo Sande conseguiu sair do carro, que capotou várias vezes e ficou imobilizado fora do asfalto.

A situação clínica do presidente da Aliança e do cabeça de lista às eleições europeias é "estável e favorável", informou o partido em comunicado.

Para o local, foi enviado um helicóptero do INEM para transportar Santana Lopes para os Hospitais de Coimbra. Segundo apurou, ainda, a TVI, o líder do Aliança ter-se-á queixado de uma dor no peito.

De acordo com as mais recentes informações disponibilizadas pelo Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, a situação clínica de ambos é estável e favorável", informa a Comissão Executiva da Aliança, acrescentando que "havendo nova informação", relativamente ao estado clínico, a mesma será prestada pelo partido.

Já Paulo Sande foi transportado de ambulância também para o Hospitais de Coimbra, de onde já teve alta.

A autoestrada esteve cortada ao trânsito nos dois sentidos, entre as 18:30 e as 19:27, para o helicóptero aterrar e levantar.

O acidente, cuja alerta foi dado às 17:14, deu-se quando os dois seguiam de Coimbra para Cascais.

A Aliança refere também que a agenda de campanha eleitoral de ambos se encontra suspensa e que irá ser "retomada logo que o quadro clínico o permita".

Cansaço como possível causa do acidente

Paulo Sande já saiu dos Hospitais da Universidade de Coimbra, tendo admitido o cansaço como uma possível causa.

À saída do hospital e com a camisa manchada de sangue, Paulo Sande disse aos jornalistas, pelas 22:15, que ele e Santana Lopes estiveram "a fazer exames".

Despistaram tudo o possível e, aparentemente, está tudo bem", afirmou, notando que "no final disto tudo, não passou de um grande susto".

Segundo fonte oficial do partido, Pedro Santana Lopes ainda não sairá hoje do hospital, onde vai ficar pelo menos esta noite, em vigilância.

Apesar de o acidente ter sido “de grande aparato, de grande impacto”, o primeiro candidato da Aliança adiantou que, por precaução, foram os dois passageiros foram imobilizados.

Questionado sobre o que terá provocado o acidente, o candidato a eurodeputado admitiu que possa "ter sido fadiga".

Hoje levantámo-nos às cinco da manhã nos Açores, e depois o dia inteiro de grande pressão que temos, sobretudo na sequência de muitos dias em que isto está a ser feito, este tipo de vida, este ritmo, esta pressão, acaba por gastar as pessoas, e é normal que tenha havido, é possível, mas não sei", salientou.

De acordo com o testemunho de Sande, era Santana Lopes que conduzia o carro e, explicou, “de repente, foi como se o tempo se tivesse suspendido e o carro saiu da estrada”.

Aparentemente demos uma ou duas cambalhotas”, acrescentou, referindo que os ‘airbags’ “não dispararam”.

Mas, considerou o candidato, “Santana Lopes quando sair poderá dizer o que se passou”, reforçando que “poderá ter sido um momento de cansaço”.

Apesar de ter admitido que seguiam “depressa para chegar a Cascais”, onde tinham outra ação de campanha, Paulo Sande indicou que o carro “não iria a muito mais de 120 quilómetros por hora”.

Se fôssemos muito mais depressa, teria tido mais consequências”, advogou.

Paulo Sande adiantou também já ter falado com o presidente do partido, não sobre as causas do acidente, mas sim “sobre o susto” e “sobre a sorte” que tiveram.

Aos jornalistas, Paulo Sande disse que agora vai, provavelmente, “descansar algum tempo”, mas que quer “voltar à estrada rapidamente” porque “a campanha vai continuar”.

Amanhã de certeza que não faremos campanha, não é possível, mas rapidamente vamos retomar”, estimou.

Entretanto, a ministra da Saúde, Marta Temido, marcou presença no hospital.

Numa nota divulgada esta noite, praticamente ao mesmo tempo que Paulo Sande falava aos jornalistas, o hospital dava conta de que os dois “estão estáveis” e que permaneciam na urgência, “aguardando ainda resultados de exames complementares de diagnóstico”.  

Santana Lopes poderá ter traumatismo torácico e Paulo Sande um traumatismo craniano

O presidente da Aliança, Pedro Santana Lopes, poderá ter sofrido um traumatismo torácico e o candidato às europeias, Paulo Sande, um traumatismo craniano, segundo os médicos do INEM que os assistiram no local do acidente rodoviário.

Questionada sobre o motivo da deslocação de um helicóptero para o acidente, a fonte do INEM disse tratar-se de “uma situação normalíssima e habitual”, já que o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) recebeu um alerta para um “acidente grave, com capotamento, e dois feridos encarcerados”.

A mesma fonte disse que foi acionado de imediato o ‘heli’ de Santa Comba Dão, uma viatura médica de emergência e reanimação do Hospital dos Covões e duas ambulâncias dos bombeiros voluntários de Pombal e de Soure.

Cabeças de lista desejam “rápidas melhoras”

Alguns dos cabeças de listas às eleições europeias utilizaram as redes sociais para desejar umas "rápidas melhoras" ao presidente da Aliança e ao candidato deste partido.

André Ventura, cabeça de lista da Coligação Basta, utilizou o perfil pessoal para considerar que a "Política também envolve amizade, humanidade e respeito pelos adversários".

Um forte abraço ao Pedro Santana Lopes e ao Paulo Sande neste dia difícil, com votos de rápidas melhoras!", acrescentou.

O cabeça de lista do Livre, Rui Tavares, escreveu na página oficial do Twitter: "Mando daqui um abraço ao Paulo Sande, a quem pessoalmente estimo, a Santana Lopes e à campanha da Aliança".

Há coisas mais importantes do que a competição eleitoral, e uma delas é que quem se empenha no contacto com os cidadãos o possa fazer são e salvo. É o que desejo a todos", apontou.

Também o partido Aliança colocou uma fotografia dos dois a cumprimentarem-se frente a frente, com a inscrição "Mais fortes que o aço!".

Também o primeiro candidato da CDU, João Ferreira, desejou hoje uma "recuperação pronta" ao seu concorrente da Aliança e ao líder daquele partido.

O eurodeputado e recandidato por comunistas e ecologistas fazia uma "arruada" no centro histórico de Évora esta tarde, quando foi questionado sobre o assunto.

Entre os líderes dos principais partidos, a centrista Assunção Cristas desejou "um rápido restabelecimento" a Pedro Santana Lopes e Paulo Sande.