"Há quem chame utopia à procura de mais humanismo, mais igualdade e mais justiça, com o sentido de que isso é perseguir uma miséria intelectual e política. Pelo contrário, estamos convencidos que quando se perde o sentido de esperança e quando se perde o sentido de utopia abrimos justamente caminho à inação, à desesperança e com isso ao ‘sebastianismo’ e aos falsos salvadores", contrapôs Carlos César, recebendo uma salva de palmas dos deputados socialistas.




"Estes compromissos acarretam uma grande responsabilidade e procura de competência por parte do Governo, mas também uma compreensão ajustada por parte da instituição parlamentar", sustentou o presidente do PS.