O parlamento aprovou esta sexta-feira um voto de pesar pela morte do militar e estratego do 25 de abril, Otelo Saraiva de Carvalho, numa votação que contou com votos contra de CDS, Chega e IL e dividiu o PSD.

O voto, apresentado pelo presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, foi aprovado hoje em sessão plenária, no parlamento.

Votaram contra CDS-PP, Chega e Iniciativa Liberal, 12 deputados do PSD e ainda a deputada socialista Lara Martinho. A votação, que dividiu por completo a bancada social-democrata, contou ainda com 32 abstencionistas.

A favor votaram PS, 16 deputados do PSD, BE, PCP, PAN, PEV e as duas deputadas não inscritas, Cristina Rodrigues (ex-PAN) e Joacine Katar Moreira (ex-Livre).

Otelo Saraiva de Carvalho morreu na madrugada de 25 de julho aos 84 anos, no Hospital Militar, em Lisboa.

“Não desconhecendo os vários momentos da vida de Otelo que o tornaram uma personagem contraditória, divisiva e não consensual, na altura do seu desaparecimento cumpre, sobretudo, prestar homenagem ao herói de Abril, ao corajoso capitão operacional do movimento militar de 25 de Abril de 1974, e que a Assembleia da República, através do presente voto, recorda, manifestando a gratidão do povo português - que aqui está representado - pelo decisivo papel que assumiu naquele que será sempre celebrado como o inolvidável Dia da Liberdade”, lê-se na iniciativa.

No texto é ainda sublinhado que Otelo “foi responsável pelo setor operacional da Comissão Coordenadora do MFA, desenhando as operações militares que acabaram com o cerco ao Largo do Carmo, em Lisboa”

“Neste papel, foi absolutamente decisivo no desfecho da operação, no comando dos heroicos capitães de Abril, sendo, a par do sempre saudoso Salgueiro Maia, no imaginário coletivo português, um dos rostos mais facilmente associáveis ao dia libertador do País. Portugal e os portugueses devem a Otelo Saraiva de Carvalho, e aos seus camaradas do Movimento dos Capitães, a conquista da Liberdade”, lê-se.

Agência Lusa / MJC