Um despacho da Câmara Municipal do Porto, liderada por Rui Moreira, restringe os horários na noite de São João e proíbe atividade em todas as salas de espectáculos da cidade. A medida afetou diretamente o espectáculo de Bruno Nogueira e Manuela Azevedo, dos Clã, "Deixem o Pimba em Paz", cuja primeira atuação estava marcada precisamente para essa noite. Entetanto, a produtora já reagendou a sessão para uma nova data. 

Em comunicado, a autarquia informa que "um despacho do presidente da Câmara do Porto deu hoje cumprimento a restrições anunciadas há dias para a noite de São João, no Porto. Cafés e lojas de conveniência fecham às 19 e restaurantes não podem ter ninguém dentro depois das 23 horas. As salas de espetáculos não poderão funcionar. As medidas do despacho juntam-se ao corte de trânsito automóvel e pedonal na Ponte Luís I e às restrições no transporte público. As festas oficiais e espetáculos estão cancelados, conforme anunciado a 4 de abril."

O espectáculo "Deixem o Pimba em Paz" estava marcado para os dia 23 e 24 de junho, no Coliseu do Porto. 

A produtora do espectáculo, "Força de Produção", já anunciou, entretanto, que por causa desta medida a apresentação inicialmente prevista para o dia 23 de junho passou para o dia 25 de junho. Os bilhetes adquiridos para o dia 23 dão entrada automática para o dia 25 e quem quiser pedir reembolso tem até dia 21 de junho para o fazer.

Há umas horas atrás foi emitido um despacho da CMP a proibir a realização de qualquer espectáculo, em sala ou ao a livre, no Município do Porto, entre as 19h de dia 23 e as 8h do dia 24 de junho. Por este motivo fomos obrigados a alterar a data do espectáculo de dia 23, que passa agora para o dia 25. Os bilhetes adquiridos para o dia 23 dão entrada automática para o dia 25, não sendo necessário proceder à troca dos mesmos. Reembolsos podem ser pedidos no prazo de 48h, até ao final de domingo, dia 21 de hunho, nos locais onde foram adquiridos. O espectáculo de dia 24 mantém-se sem alterações."

A noite de São João habitualmente leva milhares às ruas do Porto e de Vila Nova de Gaia, concelhos que tradicionalmente dividem a sua organização, mas, este ano, por causa da pandemia de Covid-19 o cenário será muito diferente.

Na quinta-feira, as duas autarquias reuniram-se e anunciaram várias medidas para impedir uma multidão nas ruas.

Portugal registou, nas últimas 24 horas, três mortos e 375 novos casos de infeção pelo novo coronavírus. Mas a grande maioria (75,7%) foram registados na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT).

Numa nota divulgada pela Câmara do Porto na quinta-feira, a autarquia congratulou-se com as notificações residuais de novos casos de Covid-19 nas duas cidades.

As cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia têm tido notificações residuais de casos de Covid-19, desde o início do mês de junho, estando o município do Porto há 12 dias sem qualquer caso reportado nos boletins da DGS [Direção-Geral da Saúde]."

Sofia Santana