Marcelo Rebelo de Sousa admitiu, esta segunda-feira, que os “portugueses foram enganados” acerca da quantidade de vacinas disponíveis contra a gripe, em setembro.

É verdade, os portugueses foram enganados. Já reconheci isso", afirmou o Presidência da República, em entrevista ao Jornal das 8 da TVI.

Questionado por Miguel Sousa Tavares, que relembra que não houve vacinas da gripe para todos, Marcelo reconheceu que o que disse "foi baseado no que era a convicção da ministra” da Saúde, Marta Temido.

Ela própria também não esperava aquele movimento que existiu", reforçou.

Desta vez, o atual presidente assegurou ter falado com os produtores das duas vacinas (da Pfizer e da Moderna), para o informar exatamente as quantidades e as condições da toma. No entanto, insistiu que é importante "não elevar as expectativas dos portugueses", uma vez que "ninguém estará cabalmente vacinado antes do final de janeiro".

Rafaela Laja