O Presidente da República assinou esta quinta-feira o decreto que renova o estado de emergência até 15 de abril.

De acordo com uma nota no site da Presidência, Marcelo assinou o decreto, "na sequência da votação amplamente favorável da Assembleia da República", que decorreu durante a tarde desta quinta-feira.

Este é o 14.º estado de emergência em Portugal desde março de 2020, entrando em vigor a 1 de abril, aplicando-se durante os 15 dias seguintes.

Votaram a favor da renovação PS, PSD, CDS, PAN e a deputada não inscrita Cristina Rodrigues. O Bloco de Esquerda absteve-se, enquanto PCP, Chega e a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira votaram contra. O deputado da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, não votou por não estar presente na sala, mas tinha reiterado o voto contra o documento.

Além das medidas anteriormente previstas, o decreto enviado ao Parlamento permite ainda medidas para evitar a especulação de preços e o açambarcamento de testes à covid-19 e outro material médico-sanitário.