O Governo português enviou para Angola um novo lote de mais 185 mil doses da vacina AstraZeneca, contra a covid-19, que chega na quinta-feira ao país, informou o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) de Portugal.

De acordo com uma nota do gabinete do secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, as vacinas são acompanhadas dos materiais necessários para viabilizar a sua administração, nomeadamente seringas e agulhas, entre outros.

Os produtos serão entregues às autoridades de saúde angolanas pela embaixada de Portugal em Luanda.

A nota sublinha que este novo apoio de Portugal segue-se a outros dois que já foram enviados para Angola em 15 de julho e 19 de agosto.

Com este terceiro lote de vacinas, Portugal já enviou um total de 370 mil vacinas destinadas a apoiar as autoridades angolanas na operacionalização do seu plano nacional de vacinação contra a covid-19”, indica a nota.

Esta doação, realça o documento, está enquadrada na segunda fase do plano de ação na resposta sanitária à pandemia de covid-19 entre Portugal e os países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) e Timor-Leste.

Portugal assumiu o compromisso político de disponibilizar aos PALOP e Timor-Leste 5% das vacinas contra a covid-19 adquiridas pelo Estado português, compromisso reforçado pelo Governo português durante a cimeira de chefes de Estado da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que teve lugar em julho em Luanda.

A operacionalização desta ação é resultado do esforço conjunto do MNE, designadamente através do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua e da embaixada de Portugal em Luanda, e do Ministério da Saúde, através da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) e da ‘task-force’ do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19 em Portugal.

A ministra da Saúde angolana, Sílvia Lutucuta, disse terça-feira em Luanda que Angola pretende aumentar as suas cifras de vacinados, prevendo ter 31% de cobertura vacinal até ao final de setembro.

Por esta altura, o país tem em curso a implementação do seu plano de vacinação, que prevê vacinar na primeira etapa 20% da população e na segunda 29%, tendo já vacinado mais de 1,7 milhões de pessoas, com recurso às vacinas da AstraZeneca, Pfizer, Sputinik V, Sinopharm e Johnson & Johnson.

Sílvia Lutucuta disse que o país continua a realizar a sua diplomacia em saúde, para a aquisição de vacinas, o atual desafio do Governo angolano.

Vamos receber um grande carregamento de vacinas, esta semana vamos receber um pouco mais de um milhão de doses de vacinas da Pfizer, uma quantidade acima da média do que estamos habituados”, disse a ministra em declarações, terça-feira, à imprensa.

Angola contabilizou, até terça-feira, um total de 46.340 casos positivos, 1.166 óbitos e 42.738 recuperados da doença.

/ AG