"Não alinharemos nem seremos parceiros nessa poupança de 600 milhões de euros. Também não seremos parceiros nessa nova versão de guerra entre gerações que está a ser estimulada pelo Governo, visando colocar jovens trabalhadores contra pensionistas".


desejar “um amplo consenso” com o PSreduções nas atuais pensões



"Neste momento, tentando introduzir alguma confusão à mistura, os partidos da maioria tentam esconder-se por trás de todos os argumentos para que essa realidade não seja evidente. A última tentativa da maioria PSD/CDS é a de se esconder atrás do PS, dizendo que querem fazer essa poupança, mas sempre com o PS. Mas, de forma clara, afirmamos que o PS não é parceiro dessa poupança nem hoje nem amanhã"











Do que depende o futuro das pensões para o PS




"Temos de encontrar alternativas complementares às contribuições patronais do lado dos salários, através de um sistema que também leve em linha de conta os lucros das empresas [IRC social]. Sem pôr em causa o valor global da contribuição patronal, a nossa proposta é que essa contribuição seja melhor distribuída. Sendo melhor distribuída, é também mais sustentável e mais segura"