É difícil haver uma maior colecção de lugares comuns. Começa logo pela florista, como se não houvesse floristas suficientes na literatura. A rapariga que apanha flores na montanha, a mãe doente a precisar de remédios e que deve dinheiro ao senhorio, a irmã cega e desvalida que canta pelas ruas, o irmão já com consciência de classe (os outros chegam depois), o senhorio agressivo e impiedoso, os camponeses revoltados, tudo entre o sentimental e o lutador. Os postais aqui reproduzidos dão um fraca imagem daquela que é a ópera mais conhecida e mais reverenciada na Coreia do Norte. Teria sido escrita pelo fundador do país e da primeira monarquia socialista, Kim Il-sung, o actual Presidente "eterno" da República apesar de estar morto desde 1994. Kim Il-sung teria escrito a ópera na prisão nos anos trinta, mas foi produzida apenas nos anos setenta, sendo depois representada milhares de vezes na Coreia, na China, um pouco por todo o mundo socialista e nalguns países capitalistas. O filme da ópera teve igualmente um grande sucesso, e deve ter arrancado muitas lágrimas seguidas de gritos de furor contra o infame senhorio. Por uma forma de masoquismo ao serviço dos nossos leitores deste EPHEMERA DIÁRIO foi-se ver, por alto, sublinho o "por alto", o filme da ópera da Rapariga das Flores. Como de costume, as coreografias das cenas colectivas estão perfeitas e algumas das canções ouvem-se com agrado. Mas três horas...  

Veja aqui o programa Ephemera da TVI24

A TVI24 associa-se à biblioteca e arquivo de José Pacheco Pereira, publicando todos os dias uma imagem inédita dos fundos do arquivo, que estão a ser tratados mas ainda não foram publicados. Essa imagem, que pode ser uma fotografia, um panfleto, um documento, a capa de um livro, um objecto, um autocolante, um pin, um cartaz, um vídeo ou uma gravação será acompanhada por um pequeno texto que complementa a informação do EPHEMERA DIÁRIO. 

Quem possa ter mais documentação ou informações sobre a imagem/tema em causa pode enviar para jppereira@gmail.com ou jrreis@tvi.pt.

Pacheco Pereira