O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, não vão estar em Sevilha, no domingo, para assistir à eliminatória dos oitavos de final da Seleção Nacional, frente à Bélgica, confirmou a TVI.

A decisão de não acompanhar a eliminatória em Sevilha, depois de terem estado presentes em Budapeste, na Hungria, surge após o polémico apelo do número dois do Estado, que pediu aos portugueses para se deslocarem em massa à cidade espanhola para acompanharem a Seleção.

A TVI apurou, ainda, que Marcelo, apesar de ter certificado digital covid, não viaja para Espanha por causa da situação sanitária na Andaluzia, com Sevilha entre as cidades mais afetadas pela pandemia. Já Ferro Rodrigues não viaja porque era convidado do Presidente da República.

Ferro Rodrigues, que recusou esclarecer publicamente o seu apelo à deslocação "massiva" de portugueses a Sevilha, encerrou a sessão plenária de sexta-feira com votos de bom fim de semana aos deputados, “os que puderem em Sevilha”.

Já hoje, em nota de esclarecimento pela sua ausência em Sevilha, citada pela agência Lusa, Ferro Rodrigues manteve o desejo de "que o número de portugueses em Sevilha seja elevado”, uma vez que "não gostou, em Budapeste, de ver 80% dos presentes contra a nossa Seleção".

Portugal não é Lisboa. A sul do Tejo existem e vivem milhões de portugueses”, justificou, em nota divulgada pelo seu gabinete.

Marcelo, sabe também a TVI, vai assistir ao jogo na Área Metropolitana de Lisboa.

Já o primeiro-ministro António Costa, que disse que ia ver o jogo em casa, cancelou a agenda em Vila Real.

Veja também:

Na quarta-feira, em Budapeste, no final do jogo da Seleção Nacional que permitiu a qualificação para os oitavos de final do Euro 2020, Ferro Rodrigues fez um apelo para “que os portugueses se desloquem de forma massiva para o Sul de Espanha e que possam apoiar uma grande vitória de Portugal nos oitavos de final”, de acordo com declarações transmitidas pela RTP.

Na quinta-feira, em Guimarães, questionado sobre estas declarações, Marcelo Rebelo de Sousa não apontou críticas.

Eu acho que aquilo foi a expressão de uma ideia que nós percebemos que é os que puderem ir que vão para termos um apelo significativo à seleção, mas está implícito que respeitem as regras e que só vão aqueles que possam ir, foi assim que eu li. Eu próprio já que tinha dito ontem [quarta-feira] que gostava muito de ir, pensei para comigo mesmo que eu só vou se o morador em Lisboa comum puder ir, se não puder ir, não vou", comentou.

Tal como no fim de semana passado, a proibição de circulação para dentro ou para fora da Área Metropolitana de Lisboa está em vigor desde as 15:00 de sexta-feira e até às 06:00 de segunda-feira, mas quem tenha um certificado digital ou um teste negativo à covid-19 pode passar.

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, no final do Conselho de Ministros de quinta-feira, quando confrontada com o apelo de Ferro Rodrigues, também se escusou a comentar, alertando apenas para o “momento crítico da evolução da pandemia”.

Redação / CM