"Hoje confirma-se o que o PS tem vindo a afirmar e que os portugueses já perceberam: Esta coligação [PSD/CDS] está esgotada, já não tem nada de novo para apresentar ao país", disse a dirigente socialista.


"É uma lista recheada de membros do atual Governo e com apenas dois independentes, e que demonstra que ninguém fora do Governo e fora do PSD acredita nesta coligação. Revela também que a instabilidade e a indefinição política, que marcaram os últimos quatro anos, estão no código genético desta coligação", sustentou Graça Fonseca.


"Não há um único cabeça de lista do CDS, nem um único. Mais uma vez [a ministra de Estado e das Finanças] Maria Luís [Albuquerque] leva a melhor sobre [o vice-primeiro-ministro e presidente do CDS] Paulo Portas", apontou Graça Fonseca.


"Estamos a falar de mais do mesmo [ao nível dos cabeças de lista da coligação] - e isto não pode ser encarado como algo irrelevante, que deva passar despercebido ao nível da mensagem política. Na lista da coligação PSD/CDS o país vê sete membros do Governo - e foi este Governo que governou nos últimos quatro anos", justificou.