"Qualquer alteração ao sistema público das pensões deve ser tomada com consenso político, incluindo com o maior partido da oposição e os parceiros sociais", afirmou Luís Pedro Mota Soares, sublinhando que "não há nenhuma medida, nenhuma proposta, a ser discutida".








"Aquilo que diz é ‘venham para cá, porque despedir em Portugal é mais fácil, mais barato e dá milhões", apontou.


"São menos 145 inspetores durante estes últimos quatro anos, menos 20% na inspeção ao serviço desta nova lei. O senhor ministro acredita que é por obra do espírito santo que a ACT vai fazer o seu trabalho?", questionou.


"Não consegue ignorar nem sacudir responsabilidades nas sucessivas alterações ao Código do Trabalho que tornaram os despedimentos mais fáceis e mais baratos", acusou.