O Partido Social-Democrata enviou este sábado à redação da TVI uma lista de doze deputados que recusam prioridade na vacinação contra a covid-19.

São eles: Rui Rio; Adão Silva; Luís Marques Guedes; Firmino Marques; Pedro Roque; Paulo Rios de Oliveira; José Silvano; Helga Correia; Afonso Oliveira; André Coelho Lima; Clara Marques Mendes e Isaura Morais.​

O anúncio do PSD surge um dia após o parlamento ter indicado 50 deputados para o processo de vacinação contra a covid-19, segundo um comunicado enviado por Ferro Rodrigues a António Costa.

Fonte parlamentar disse à TVI24 que entre os 50 deputados, num total de 230, estão o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, deputados do PS, PSD, PCP, PEV e uma das duas deputadas não inscritas.

Neste grupo de 50 deputados, de acordo com a mesma fonte, estão "quase todos os vice-presidentes da Assembleia da República, apenas não constando José Manuel Pureza, do Bloco de Esquerda, que "prescindiu de ser vacinado já nesta fase".

Na quarta-feira, o presidente do PSD pediu “equilíbrio” e “bom senso” na definição dos políticos que serão vacinados de forma prioritária, e disse que aceitará a vacina se existir um “consenso”, apesar de não se considerar um caso “nevrálgico”.

“A minha posição é fácil, para quem me conhece e está atento: eu discordo completamente da demagogia de não vacinar político nenhum", afirmou, no final de uma audiência com o Presidente sobre o estado de emergência, questionando qual é a vantagem para o país de ter vários ministros do Governo infetados.

Sobre o seu caso pessoal - o presidente do maior partido da oposição ocupa uma posição de destaque na lista do protocolo de Estado e deverá ser incluído no plano prioritário -, Rio disse não se considerar “um caso nevrálgico”, mas se tal for decidido por “consenso” não dirá que cede a sua vacina “só para fazer um brilharete”.

Os titulares de órgãos de soberania, deputados da Assembleia da República, membros dos órgãos das regiões autónomas e presidentes de câmara, enquanto responsáveis da proteção civil, vão começar a ser vacinados na próxima semana.

No início desta semana, o primeiro-ministro enviou "cartas aos órgãos de soberania para que estabeleçam as prioridades para inoculação em cada um dos serviços".

Gabinete de Ferro surpreendido com correção na lista de deputados PSD

O gabinete do presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, foi hoje apanhado de surpresa pela decisão de 12 deputados não quererem ser vacinados contra a covid-19, disseram à Lusa fontes parlamentares.

Agora, a lista que tinha sido enviada por Ferro Rodrigues para o primeiro-ministro, António Costa, com os nomes de quem vai ser vacinado terá de ser corrigida e reduzida, de 50 para 38, confirmou à Lusa fonte do gabinete do presidente da Assembleia da República.

Os critérios para a lista de deputados a vacinar foram discutidos por Ferro Rodrigues na conferência de líderes, na quinta-feira, em que pediu um “voto de confiança” para a escolha, tendo sido dado o prazo do final do plenário de sexta-feira para os grupos parlamentares informarem que não aceitava figurar.