A presidente do Grupo Parlamentar do Partido Socialista disse esta quinta-feira, no programa Circulatura do Quadrado, que as declarações do ex-ministro socialista João Cravinho- que disse que a visão política de José Sócrates como primeiro-ministro e secretário-geral do PS era de não combate à corrupção - foram profundamente injustas.

São afirmações injustas, porque eu acompanhei, na altura, e várias das propostas de João Cravinho não só foram adotadas, como algumas até deram passos maiores”, disse Ana Catarina Mendes, referindo a título de exemplo a proposta da Comissão de Prevenção da Corrupção que veio de João Cravinho e que culminou no Conselho de Prevenção da Corrupção.

A socialista diz ainda que Cravinho foi responsável por “um conjunto de coisas que foram aprovadas”, sendo que a única que não avançou foi mesmo o enriquecimento ílicito, por o Tribunal Constitucional o ter chumbado duas vezes - a última em 2015.

A discussão sobre a necessidade de legislar sobre o enriquecimento ilícito levou mesmo a deputada a dizer que dá origem “às mais diversas demagogias”.

Em entrevista à SIC, João Cravinho, antigo ministro das Obras Públicas, disse que "a visão política de José Sócrates como primeiro-ministro e secretário-geral do PS era de não combate à corrupção”