O PSD disse, nesta quarta-feira, que saiu da reunião com o Governo sobre as linhas gerais do Orçamento do Estado para 2022 “mais preocupado” do que entrou, dizendo que nem sequer foi apresentado ao partido o cenário macroeconómico completo.

Não nos foi apresentado todo o quadro macroeconómico. O que esta reunião deixa muito claro é que saímos daqui mais preocupados do que entrámos”, afirmou o vice-presidente da bancada do PSD Afonso Oliveira, no final de uma reunião de cerca de meia hora com o ministro das Finanças e o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, no Parlamento.

Afonso Oliveira disse mesmo que, pelo que foi apresentado ao PSD, o documento estaria “numa fase embrionária” por ainda decorrerem negociações com os partidos à esquerda.

“Para nós isso é claro, não que isso resulte da reunião com o Governo, resulta da incapacidade do Governo de nos apresentar o quadro macroeconómico total, foram apresentadas algumas linhas gerais sobre as quais não nos iremos pronunciar”, disse.

Questionado sobre os sinais prometidos pelo primeiro-ministro neste Orçamento para a classe média e o investimento público, Afonso Oliveira respondeu: “Não ficámos com essa evidência.”

Na segunda-feira analisaremos e avaliaremos o que é apresentado pelo Governo”, adiantou apenas, recusando-se a antecipar o sentido de voto do PSD antes de conhecido o documento, o que acontecerá na próxima segunda-feira.

Agência Lusa / CM