Mais de 290 mil testes à covid-19 feitos a funcionários de lares de idosos terão evitado mais de 870 surtos da doença, disse esta sexta-feira, em Vila Nova de Gaia, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Desde o início, temos levado a cabo um programa de testagem dos trabalhadores nos lares de forma a, preventivamente, identificar assintomáticos e a prevenir surtos”, referiu Ana Mendes Godinho, que falava aos jornalistas à margem da apresentação do protocolo de transferência de competências do Estado para o município de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto.

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social referiu que foram efetuados 294 mil testes a trabalhadores de lares, um programa que vai ser continuado “pelo menos até junho” e que obrigará à renovação de protocolos com as universidades e politécnicos que “tornam possível o processo”.

Estimamos que com este programa de testagem, ao longo de meses, evitámos 870 surtos [por estarem em causa] situações assintomáticas”, referiu.

Ana Mendes Godinho reafirmou que os trabalhadores de lares são testados todos os meses, numa lógica que implica testar 25% por semana, de forma a garantir que todos são testados durante o mês.

A ministra falava aos jornalistas depois de na cerimónia, restrita a representantes de instituições e comunicação social, ter recordado que “esta é a primeira semana que Portugal regista zero mortes covid-19 nos lares”, bem como “o número mais baixo de surtos em lares desde sempre”.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.903.907 mortos no mundo, resultantes de mais de 133,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.904 pessoas dos 826.327 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ JGR