O Chega!, de André Ventura, é um dos novos partidos com representação na Assembleia da República. Em Alvito, vila alentejana do distrito de Beja, foi onde o partido teve maior votação em termos percentuais. Alguns dos votos vieram da própria etnia cigana.

André Ventura ganhou grande mediatismo quando, em 2017, na altura das eleições autárquicas, fez polémicas declarações sobre a comunidade cigana. O El País chegou a escrever, em julho de 2017, sobre estas declarações de André Ventura ao jornal I contra a comunidade cigana.

A polémica levou mesmo o CDS a romper a coligação que tinha com o PSD em Loures. Nesta entrevista, André Ventura referiu, entre outras coisas, que “os ciganos vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado”.

Agora, nas eleições legislativas e já com um partido próprio, André Ventura ganhou um lugar no Parlamento e os ciganos ajudaram à eleição do candidato, mesmo que por razões divergentes.

Foi um voto de protesto. É para ele saber que eu não tenho medo dele. Nós, os ciganos, não temos medo dele. Ele é que é cigano, que está sempre a discriminar os ciganos”, disse à TVI Miguel Paz, de etnia cigana, eleitor em Alvito.

Dentro da própria comunidade, há quem não concorde com esta posição.

Eu acho que não há motivo nenhum” para as pessoas de etnia cigana terem votado no Chega!, disse Alexandra Bonito, também cigana e eleitora no mesmo concelho. “Se ele era contra os ciganos, a gente não podia ser por ele. Se ele não era para a gente, a gente ia ser para ele? Por alma de quem?”, questionou.

Não só da etnia cigana vieram os votos. Outros eleitores da terra também assumiram ter depositado na urna o voto no primeiro partido de extrema-direita em Portugal.

Votei no Chega! por duas particularidades: uma é porque o André Ventura é do Benfica, essa é a primeira, e a segunda é porque ele é contra os ciganos, e eu ganho uma miséria e os ciganos é um disparate”, sublinhou José Valério, da mesma terra alentejana.

O partido Chega! teve grande apoio no Alentejo. De Alvito vieram 4,76% de votos - foi onde o partido teve maior percentagem - e 4,68% de Moura. Portalegre e Évora foram os distritos a dar mais votos ao partido.