O primeiro-ministro, António Costa, insistiu esta terça-feira que “é preciso evitar uma saída desordenada” do Reino Unido da União Europeia (UE), alertando que “uma situação dessas” implicaria consequências negativas para a economia mundial.

“Se a decisão soberana do Reino Unido for sair, lamentamos, respeitamos e negociamos a saída. Se for continuar por mais algum tempo, ficamos satisfeitos. Se a decisão do Reino Unido for ficar duradouramente na UE, ficamos muito satisfeitos”, afirmou António Costa no Palácio da Foz, em Lisboa, onde recebeu hoje o Presidente do Peru.

António Costa considerou que a saída sem acordo “seria a pior forma de resolver o problema quer para a UE, quer para o Reino Unido, quer para a economia mundial”.

"Uma situação dessas não deixaria de impactar no conjunto da economia mundial e não seria só um problema da economia europeia", alertou.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou hoje que o parlamento britânico poderá escolher entre sair da UE sem acordo ou pedir um adiamento da data do ‘Brexit’ se o acordo que o governo apresentar nas próximas semanas for rejeitado.