«A soberania nacional não é afirmada simplesmente pela garantia que as Forças Armadas dão sobre a integridade do território nacional. A soberania nacional também é assegurada pela capacidade que o país tem de se interligar com o mundo - e nessa capacidade a TAP tem um papel absolutamente central», advogou António Costa.


«Perante as restrições colocadas pela União Europeia ao reforço do capital por parte do Estado, há que encontrar alternativas. Julgamos que no setor público há alternativas e julgamos também que seria possível proceder a um aumento do capital da empresa, através da bolsa, com investimento de capital privado, sem que o Estado perca a posição de controlo fundamental para a empresa», afirmou.