António Costa está disponível para prestar esclarecimentos na Comissão de Inquérito Parlamentar ao caso Tancos.

Fonte oficial do gabinete do primeiro-ministro confirmou ao semanário Expresso a total disponibilidade para responder às perguntas dos deputados sobre o material militar roubado e recuperado, num caso que levou o ministro da Defesa à demissão.

A comissão de inquérito ao furto de armas nos paióis de Tancos, em 2017, foi aprovada no dia 26 de outubro por larga maioria no Parlamento e deve começar a trabalhar ainda este mês.

Um dia antes, o CDS-PP manifestou a intenção de chamar o chefe do Governo à Comissão de Inquérito.

Marcelo Rebelo de Sousa disse na sexta-feira que está a ser criada uma “nebulosa” à volta do caso, para evitar que se descubra a verdade. O Presidente da República repetiu no Funchal que nada sabia ou sabe sobre Tancos e garantiu que não se irá calar sobre este tema.