António Costa admitiu, no final da reunião do Gabinete de Crise, que Portugal, bem como outros países da Europa, está a sofrer um "forte crescimento" de novos casos de covid-19. A continuar assim, disse o primeiro-ministro, na próxima semana o país vai atingir os 1000 casos por dia.

Como todos sabemos, acompanhando a tendência geral da Europa, estamos a sofrer um forte crescimento de novos casos diariamente. A manter-se esta tendência, seguramnete na próxima semana, chegaremos a 1000 novos casos por dia", disse em declarações aos jonalistas, em São Bento.

Reforçou que é preciso parar esta pandemia e que para isso existem cinco regras fundamentais que todos devemos cumprir: uso de máscara; manter a higiene regular das mãos ao longo do dia; respeitar a etiqueta respiratória; manter o distanciamento social; e a utilização da aplicação StayAway Covid.

Se todos cumprimos vamos conseguir controlar a pandemia”.

O primeiro-ministro voltou a dizer que o país não pode voltar a parar, porque o custo social do confinamento foi brutal. Numa mensagem direta ao jovens, disse que as regras são para ser aplicadas dentro e fora dos estabelecimentos de ensino e "não é por ser jovem que a responsabilidade é menor”

Agora, não vamos poder voltar a parar o país, como aconteceu em março. Agora, o controlo da pandemia depende da responsabilidade pessoal de cada um de nós. Não podemos voltar a privar as crianças do acesso à escola, não podemos voltar a proibir as famílias de visitarem os seus entes queridos nos lares, não podemos separar as famílias no Natal como fizemos na Páscoa. Temos mesmo de travar a pandemia por nós próprios através da nossa responsabilidade pessoal", frisou.

Já no período de perguntas dos jornalistas, o primeiro-ministro desdramatizou a atual situação do Serviço Nacional de Saúde (SNS), designadamente em termos de capacidade de resposta a doentes com covid-19.

Felizmente, a pressão sobre o SNS mantém-se limitada. Aliás, os números de hoje revelam uma diminuição de internados, quer em cuidados intensivos, quer em internamentos gerais. Felizmente, não estamos numa situação em que não haja controlo no SNS. Mas os períodos de incubação são longos", ressalvou.

DGS apresenta na próxima semana plano para o período outono/inverno

O primeiro-ministro revelou esta sexta-feira que a Direção Geral da Saúde (DGS) vai apresentar na próxima semana um plano de medidas contra a covid-19 para o período outono/inverno e exortou ao cumprimento regras de prevenção já em vigor.

Na próxima semana, a DGS apresentará qual o plano específico para o período outono/inverno. Como sabemos, perante um vírus novo, a comunidade científica tem vindo a evoluir em relação ao conhecimento que dele tem e, consequentemente, no que respeita às medidas adequadas para a sua contenção", afirmou.

Perante os jornalistas, porém, António Costa procurou centrar a sua mensagem na questão "fundamental" da responsabilidade individual de cada um no combate à propagação do novo coronavírus.

Do Gabinete de Crise para o acompanhamento da evolução da covid-19, que se tinha reunido pela última vez em 29 de junho, fazem parte membros do Governo como os ministros de Estado da Economia, dos Negócios Estrangeiros - Augusto Santos Silva não esteve hoje presente e fez-se representar pelo secretário de Estado Eurico Brilhante Dias - da Presidência e das Finanças, bem como os titulares das pastas da Defesa Nacional, da Administração Interna, do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, da Educação, da Saúde e das Infraestruturas e da Habitação.

Cláudia Évora / com Lusa - Notícia atualizada às 15:32