“Disto tudo o que é que se podem perguntar os portugueses: que sentido teve o aumento dos impostos, o aumento das taxas moderadoras, o corte de salários? Para termos uma dívida maior e um défice igual? À primeira qualquer um cai, mas à segunda só cai quem quer".


“O desrespeito para com os cidadãos só merece uma resposta: é pô-lo na rua!"


Governo se justifica


"Eles têm as sondagens, nós temos a força"


"Queria muito pedir-vos isto. Todos aqueles que savem que o governo vai continuar o mal que fez (...) O PS tem de ser ponto de união, de unidade, de todos os democratas-cristãos, de todos os socialistas, que querem um país vivo", começou por dizer. 

Basílio Horta pediu ainda aos portugueses para que "não percam um minuto com isso das sondagens diárias que andam para aí". "Eles têm as sondagens, nós temos a força". Uma garra que, para o autarca, ainda não chega:

"Queria pedir-lhe um favor, doutor António Costa: que todos nós juntos percebamos, que vamos fazer uma grande mobilização com todos. Mostrar que o PS é o presente e o futuro a bem de Portugal e dos portugueses". 





"É só exercício de cosmética"


"Fez exercício de cosmética, um exercício puramente eleitoralista"ao anunciar hoje, pela oitava vez, a devolução da sobretaxa de IRS. O governo faz [isso] porque tem para ele um custo zero, porque eles não vão ganhar as eleições no dia 4 de outubro".