O primeiro-ministro, António Costa, numa nota enviada à comunicação social, lamentou a morte do "ilustre académico e distinto Estadista" Diogo Freitas do Amarale adiantou que o Governo vai decretar luto nacional no dia do seu funeral.

A título pessoal, e como seu antigo colega de Governo, não posso deixar de recordar o muito que aprendi com o seu saber jurídico, a sua experiência e lucidez política e o seu elevado sentido de Estado e cultura democrática, que sempre praticou", acrescentou.

O Governo decretou ainda Luto Nacional no mesmo dia em que se realiza o funeral do antigo ministro e fundador do CDS-PP. 

O Governo decretará Luto Nacional coincidente com o dia do funeral, o que será acertado nas próximas horas e de acordo com a indicação da sua família".

Diogo Freitas do Amaral morreu esta quinta-feira. O antigo ministro tinha 78 anos e estava internado nos cuidados intermédios do Hospital da CUF, em Cascais, desde 16 de setembro. 

Marcelo Rebelo de Sousa homenageia Freitas do Amaral

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, numa nota na página da Presidência da República, prestou "o seu mais fundo pesar" pela morte de Diogo Freitas do Amaral.

O Presidente da República manifesta o seu mais fundo pesar pelo falecimento de Diogo Freitas do Amaral, um dos quatro Pais Fundadores do sistema político-partidário democrático em Portugal, como Presidente do Centro Democrático e Social", lê-se na nota.