O primeiro-ministro, António Costa, apelou esta terça-feira aos portugueses para que não baixem a guarda em relação à prevenção dos riscos de fogos rurais, que se juntam ao contexto de pandemia de covid-19.

“O apelo que gostaria de fazer a todas e todos os portugueses é que, apesar de dias anómalos para o que é normal em agosto, não esquecer que não podemos baixar, também na prevenção de riscos de incêndio, a guarda. Tal como é fundamental usarmos máscara, lavarmos constantemente as mãos, é absolutamente fundamental evitar todos os comportamentos de risco que possam criar riscos de incêndio”, sublinhou.

Costa prestava declarações aos jornalistas após presidir à reunião do Centro de Coordenação Operacional Nacional (CCON) da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), na sede de Carnaxide.

O chefe do Governo recordou que “o passado mês de julho foi o mais quente desde 1931”. “Todos não somos de mais para sermos também agentes da Proteção Civil”, vincou.

“Como já vimos este ano, os riscos tiram mesmo a vida e já houve quatro bombeiros e um piloto que perderam a vida”, lamentou ainda.

/ LF