O Governo anuncia esta quinta-feira o plano de desconfinamento para o país, mas ainda há mais dúvidas do que certezas.

O Executivo prepara-se para incluir na lista de vacinação prioritária os professores e educadores de infância. Serão quase 200 mil pessoas, mas, antes disso, as creches e o pré-escolar vão abrir portas já na próxima semana.

As escolas do 1º e 2º ciclos, e por aí fora, só deverão reabrir depois da Páscoa.

Em cima da mesa está também a abertura de algum comércio já na segunda-feira, mas o tema não é consensual. A venda ao postigo deverá ser autorizada, ainda que não estejam definidos que estabelecimentos comerciais o poderão fazer.

O atual regime de confinamento deverá também ser alterado. Está previsto o regresso ao recolher obrigatório, que poderá ser diferenciado por regiões, consoante o grau de contágios. Também aqui falta acertar as horas de recolha em casa. As exceções deverão ser as que já vigoravam antes do confinamento.

Em dúvida ainda estão os cabeleireiros. André Ventura adiantou que estes podem reabrir já na segunda-feira, mas a TVI sabe que a decisão ainda não está fechada.

Por último, os restaurantes, que só deverão abrir mais tarde do que o previsto. Vão continuar apenas a funcionar em regime de take-away ou entrega ao domicílio pelo menos até maio. A situação poderá ser diferente por regiões, mais uma vez, em linha com os dados epidemiológicos de cada zona do país.

João Morais do Carmo