sem acordo

coligação






Continuação do diálogo depende agora do PSD e CDS





"O secretário-geral do PS, António Costa, enviou hoje à coligação PAF (Portugal à Frente) o documento que tinha prometido e que reduz a escrito e de forma detalhada o que havia transmitido na reunião da passada terça-feira. Fê-lo usando exatamente o mesmo tempo que a PAF usou para nos remeter a sua missiva após a primeira reunião: três dias", referiu o ex-presidente do Governo Regional dos Açores.




Cada um assumirá as suas responsabilidades

"O PS tem feito um grande esforço para aproximar e tornar compreensíveis as semelhanças e divergências reais entre todos os partidos e para identificar as melhores possibilidades de entendimento. É um esforço difícil, paciente, feito de boa-fé e por vezes incompreendido, mas indispensável", advogou o ex-presidente do Governo Regional dos Açores.



"Tenho dito que o PS não quer o poder a qualquer custo nem faz qualquer coisa para ser poder ou para oferecer poder a outros. Procuramos, sim, legitimamente, evitar os custos para os portugueses que resultariam do prolongamento de uma política de austeridade excessiva, insensível, incontrolada e de maus resultados", acrescentou o presidente do PS.