O líder parlamentar do PS afirmou, esta quarta-feira, que, quanto mais os anos passam, melhores são as suas relações com o primeiro-ministro e frisou que está para ficar na liderança da bancada até ao fim da legislatura.

Palavras proferidas por Carlos César em conferência de imprensa na Assembleia da República, depois de questionado sobre o atual estado das suas relações pessoais e políticas com António Costa, após a direção da bancada socialista e o Governo ter entrado em divergência por causa do IVA a aplicar à tauromaquia no âmbito do Orçamento do Estado para 2019.

Quanto mais anos passam melhor é essa relação. Ainda mais (nesta fase final da legislatura)", respondeu o presidente do Grupo Parlamentar do PS.

Caros César foi a seguir questionado se, tendo em conta os recentes episódios em torno da questão do IVA das touradas, espera cumprir o seu mandato de presidente do Grupo Parlamentar do PS até ao fim da presente legislatura.

O líder da bancada socialista soltou então um breve riso e comentou: "Essa não me tinha ocorrido".

Acho que pergunta é muito criativa, mas não me tinha ocorrido semelhante coisa. Aqui estou para ficar, claro", disse o secretário-geral.

Nesta conferência de imprensa destinada a apresentar o programa das Jornadas Parlamentares do PS, que se realizam entre sexta-feira e domingo, no Algarve, Carlos César falou também sobre a forma como concebe a autonomia da bancada socialista, depois de questionado sobre a razão da ausência de ministros durante aqueles três dias de trabalho político das jornadas.

O presidente do Grupo Parlamentar do PS começou por apontar que ao início da tarde de sábado, em Portimão, discursa António Costa: "O melhor dos ministros, o nosso primeiro-ministro".

Depois, deste comentário, Carlos César referiu a forma como concebe dos pontos de vista político e institucional as jornadas parlamentares da sua bancada.

Estamos a fazer Jornadas Parlamentares, não estamos a fazer um Conselho de Ministros. Portanto, enquanto eu for presidente do Grupo Parlamentar, é de parlamentares que eu trato", salientou perante os jornalistas.

Questionado se essa posição não demonstra distanciamento em relação ao executivo, o líder da bancada do PS contrapôs que esse mesmo princípio "apenas mostra que o Grupo Parlamentar trabalha no âmbito parlamentar, em conjugação com o Governo".

Nós somos o partido do Governo", acrescentou Carlos César.