António Costa exaltou-se esta sexta-feira com um popular, durante uma arruada na Baixa de Lisboa. O secretário-geral do Partido Socialista foi acusado pelo popular de ter estado nas suas "merecidas férias" durante os incêndios de Pedrógão Grande, em 2017.

O senhor quando foi os incêndios de Pedrógão Grande estava nas suas merecidas férias", atirou o homem, que disse, porém, que votava PS, independentemente de quem liderava o partido.

Perante a acusação, o secretário-geral socialista exaltou-se, gritando que isso era "mentira".

É mentira! Isso é mentira", gritou Costa.

O momento foi de grande tensão e o líder do PS teve mesmo de ser acalmado pelos seguranças.

Entretanto, Costa já comentou o incidente, afirmando que o que aconteceu foi um ataque à sua honra e que não é por ser político que deixa de ser de carne osso. O líder do PS foi mais longe, acusando a direita de ter "repetidamente lançado" uma "mentira".

É uma mentira que a direita repetidamente tem vindo a lançar a esse respeito. Nunca o faz dando a cara e agora pôs um senhor a fazer esta provocação. É lamentável que a campanha tenha descido a este nível. Olhe, se devia ter reagido mais calmamente, seguramente que sim, mas, sabe, não é por ser político que deixo de ser de carne e osso. (…) Foi um ataque à minha honra e eu não admito ataques à minha honra", sublinhou.

O secretário-geral socialista afirmou ainda que Pedrógão Grande foi uma enorme tragédia que não esquece e que "é lamentável que alguém utilize uma tragédia daquela dimensão para insistir e persistir numa mentira".

Aquilo não foi uma ação provocada sobre um tema que para mim é muito sensível. O pais viveu uma enorme tragédia eu não esqueço essa tragédia e nunca esquecerei. É lamentável que alguém utilize uma tragédia daquela dimensão para insistir e persistir numa mentira. É absolutamente falso que eu estivesse fora do país. Eu estava em funções no dia 17 de junho, no dia 18 de junho de manhã eu estava reunido com todos os presidentes de câmara", frisou.

O momento de tensão aconteceu no final de uma arruada que percorreu a Baixa de Lisboa, esta sexta-feira, o último dia de campanha. O passeio, que reuniu muitos apoiantes, ocorreu depois do já tradicional almoço socialista na Cervejaria Trindade. 

A Baixa lisboeta encheu-se de rosas vermelhas e um grande aparato e alguma confusão gerou-se junto à caravana socialista. Um cenário que apanhou muitos turistas de surpresa, que questionavam o que estava a acontecer.

De Lisboa, Costa segue para o Porto, de comboio. O último dia de campanha termina com um comício no Coliseu da "invicta".