O secretário de Estado Adjunto e da Saúde mostrou-se esta quinta-feira "confiante" no plano de contingência sanitária que envolve a final da Liga dos Campeões de futebol, no Porto, mas alertou para a necessidade de "haver cautelas".

Temos de ser sempre preventivos. Fizemos um plano de ação e tomamos medidas para tentar controlar o que é humanamente possível. É evidente que temos de ter cautelas quando há grandes movimentos sociais, porque podem aumentar a transmissão do vírus. É preciso responsabilidade e seguir as regras claras da DGS [Direção-Geral da Saúde", disse António Lacerda Sales.

Apesar de a PSP ter dito, esta manhã, na apresentação da operação de segurança montada para o evento, que ainda aguarda indicações das entidades competentes sobre encaminhamento dos adeptos ingleses para áreas específicas da cidade, o governante vincou que "as autoridades de saúde já emitiram um parecer" sobre essas matérias.

Foi emitido um parecer para um plano de contingência do circuito desde que os adeptos saem dos aviões, vão para as zonas de fãs e depois para o estádio. Tudo está a ser feito em articulação com as forças de segurança, Câmara do Porto e outras entidades. Acreditamos na capacidade dos nossos parceiros", disse António Lacerda Sales.

O secretário de Estado da Saúde reconheceu, ainda assim, que há sempre um "risco" associado neste tipo de eventos, com milhares de pessoas, retirando a necessidade de "atenção e consciência".

Acredito no que foi organizado. Houve uma excelente colaboração com a Federação Portuguesa de Futebol, que nos pediu esta avaliação, e acredito na capacidade todas as forças de segurança envolvidas. Vai correr bem", afirmou o governante.

/ CE