O ex-ministro da Agricultura António Serrano dirigiu-se directamente ao agora ministro dos Negócios Estrangeiros, acusando-o de «propaganda» durante a campanha eleitoral em relação a este sector.

«A agricultura enchia a boca diariamente de Paulo Portas», recordou, lamentando a situação actual do Douro e do Alqueva para exemplificar como «eram tudo slogans e propaganda» do CDS-PP, agora com a responsabilidade deste ministério. «É difícil governar...», constatou.

Fazendo um balanço dos primeiros meses do novo Governo, António Serrano acusou o Executivo de Passos Coelho de «impreparação notória» e «desconhecimento claro» sobre a realidade.

«As marcas desta governação são a completa esquizofrenia tributária, sem uma agenda para o crescimento e emprego, e a paralisação completa da Administração Pública, com um processo de reorganizçaõ dos serviços públicos sem qualquer preocupação com a qualidade», disse.

Reforçando a «ausência de capacidade de pensamento político» do Governo, o ex-ministro avisou que «o corte e custura não basta» e que é necessário «reorganizar o Estado, promovendo a racionalidade e qualidade dos serviços públicos».

Para o PS, Serrano deixa o aviso: «Temos de fazer propostas que o PS possa cumprir enquanto Governo e não apenas promessas de oposição».