António Serrano, esta quinta-feira proposto para novo ministro da Agricultura, mostrou-se satisfeito por ter sido escolhido para o cargo, afirmando à agência Lusa estar «disponível» para «esta tarefa complexa».

«Sou um servidor público, um gestor, e naturalmente que estou disponível para esta tarefa complexa», afiançou António Serrano, numa curta declaração à Lusa.

O primeiro-ministro indigitado, José Sócrates, propôs ao Presidente da República, Cavaco Silva, a nomeação dos membros do XVIII Governo Constitucional.

Para titular da pasta da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, Sócrates avançou com a escolha de António Manuel Soares Serrano, que vai suceder a Jaime Silva, que desempenhou aquelas funções no anterior executivo socialista.

Professor catedrático da Universidade de Évora e doutorado em Gestão de Empresas, António Serrano, de 44 anos, exerce as funções de presidente do Conselho de Administração do Hospital do Espírito Santo, EPE, localizado naquela cidade alentejana.

Ex-director do Gabinete de Planeamento de Política Agro-Alimentar do Ministério da Agricultura, António Serrano é actualmente vogal da Comissão Directiva do Programa Operacional do Alentejo - INALENTEJO, do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).