O Parlamento aprovou esta sexta-feira na generalidade projetos de resolução do PSD e do CDS-PP para que o Governo adote um “plano de contingência” para reduzir os impactos da saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit.

Os diplomas do PSD e do CDS-PP foram aprovados com os votos favoráveis daquelas bancadas e do PAN e a abstenção do PCP, BE, PEV e do deputado não inscrito Paulo Trigo Pereira, obtendo o voto contra do PS.

No debate das resoluções, quarta-feira em plenário, a social-democrata Rubina Berardo reiterou as críticas ao Governo socialista pela falta de medidas preventivas face ao ‘Brexit’, lamentando o "anunciado plano de contingência a conta-gotas e medidas a prestações", num "comboio que já está atrasado".

O democrata-cristão Pedro Mota Soares alertou que "faltam 71 dias para o ‘Brexit'" e "o pior cenário de todos é cada vez mais uma realidade - uma saída sem acordo, desordenada, o chamado ‘hard Brexit'", desejando que o executivo do PS "apresse o seu passo e corrija o tiro que está a dar".

Os diplomas vão ser discutidos na especialidade na comissão parlamentar de Assuntos Europeus.

/ SS