Rejeição do programa implica queda do executivo