A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, disse esta segunda-feira que respeita a decisão do PSD de concorrer sozinho em Lisboa nas próximas autárquicas, sublinhando que a sua candidatura nunca esteve dependente do apoio dos sociais-democratas.

O que sinto é que temos caminhos diferentes e que, aliás, tinha-o dito quando apresentei a minha candidatura, sublinhando que era aberta a poder fazer parte de um programa conjunto com o PSD ou com outros partidos, mas que respeitava o próprio entendimento do PSD", disse Assunção Cristas após a visita que efetuou ao Hospital do Barlavento, em Portimão, no Algarve.

A líder do CDS-PP disse que respeita a decisão do PSD em apresentar agora uma candidatura própria, e assegurou que irá continuar a trabalhar com grande entusiasmo e empenho.

"Vamos continuar da forma empenhada e entusiasmada como o temos feito desde setembro", sublinhou Assunção Cristas, acrescentando que está "de consciência muito tranquila" ao comunicar ao PSD a intenção de avançar com a candidatura a Lisboa.

"Nesta matéria, não tenho nenhum tipo de problema e, aliás, tenho uma consciência muito tranquila com o sentido de que fiz tudo aquilo que devia ser feito no tempo próprio, respeitando o facto do PSD ter ‘timing’ próprio e, tal como se viu agora, o seu próprio caminho", destacou.

A minha candidatura nunca esteve dependente do apoio do PSD ou de qualquer outro partido, nem nunca esteve nessa expetativa", concluiu.