O ministro dos negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou, em entrevista à TSF e ao Diário de Notícias, que não há diálogo possível com o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, depois de este ter dito que os países do sul não podiam gastar o dinheiro em "álcool e mulheres" e a seguir pedir ajuda financeira.

Com o senhor Dijsselbloem a conversa não é possível porque esta não foi nem a primeira, nem a segunda, nem a terceira vez que Dijsselbloem se permitiu tecer considerações que são inaceitáveis", sublinhou o número dois do Governo nesta entrevista.

As polémicas declarações do presidente do Eurogrupo, feitas numa entrevista ao jornal Frankfurter Allgemeine, trouxeram consenso ao Parlamento, esta semana, com criticas das várias bancadas e com os partidos a pedirem, tal como o Governo, a sua demissão.

Apesar das críticas, Dijsselbloem disse, na quarta-feira, que não tem intenção de se demitir do cargo. O presidente do Eurogrupo lamentou que haja quem se tenha sentido ofendido com declarações, desculpando-se com a cultura Calvinista holandesa.

Lamento que a minha mensagem tenha sido mal entendida e lamento que tenha emergido como o norte contra o sul”, vincou.

As reações não foram apenas políticas e na Internet os portugueses reagiram com humor. São muitas as piadas nas redes sociais a Dijsselbloem ficou, assim, a conhecer o humor de um país da Europa do Sul.