A distrital do PS de Coimbra exigiu esta sexta-feira "a demissão imediata" do presidente da Turismo do Centro, Pedro Machado, por ter assumido encabeçar a candidatura do PSD à Câmara da Figueira da Foz.

O secretariado da Federação de Coimbra do Partido Socialista vem exigir a demissão imediata de Pedro Machado das suas funções no Turismo Centro de Portugal, com a convicção de que isso deverá acontecer por questões éticas e deontológicas, de onde se pode extrair incompatibilidades várias", lê-se na nota de imprensa da distrital enviada à agência Lusa.

O presidente da Turismo do Centro, Pedro Machado, anunciou na quinta-feira que aceitou o desafio do presidente do PSD, Rui Rio, de encabeçar a candidatura do partido à Câmara da Figueira da Foz, no distrito de Coimbra.

A distrital do PS considerou que "quem exerce funções públicas deve estar sempre disponível para colocar o interesse da instituição e o interesse público à frente dos seus pessoais interesses".

Numa altura em que a perceção dos cidadãos sobre a política exige sérios compromissos éticos e transparência por parte de quem exerce cargos públicos, não podemos avalizar que Pedro Machado acumule a candidatura autárquica à Figueira da Foz com a função executiva na Turismo Centro de Portugal", criticou.

Segundo o PS de Coimbra, a pandemia criou "desafios e dificuldades únicas" ao setor do turismo, sendo "urgente e essencial" a dedicação em exclusividade na Turismo do Centro.

Nesse sentido, a distrital espera que "sejam feitas eleições" naquela estrutura "o quanto antes, para dar resposta a este setor em crise e a todos os portugueses desta região que anseiam por soluções promotoras de resiliência e de recuperação".

Questionado sobre se se irá manter como presidente da Turismo do Centro durante a campanha, Pedro Machado disse à agência Lusa na quinta-feira que "os presidentes de Câmara também são titulares de cargos públicos e não abandonam [o cargo] para serem candidatos".

"Só tomarei posição sobre isso depois de ser formalmente apresentado como candidato", acrescentou.

. / MJC