Foi uma das derrotas da noite eleitoral para o Partido Socialista: o atual presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, perdeu para o independente José Manuel Silva, da coligação Juntos Somos Coimbra, que conseguiu mesmo a maioria absoluta.

A coligação (PSD/CDS-PP/NC/PPM/A/RIR/VP), encabeçada pelo antigo bastonário da Ordem dos Médicos José Manuel Silva, teve 43,92%, correspondendo a seis mandatos, enquanto o PS, que recandidatou Manuel Machado a um terceiro mandato, alcançou 32,65% e quatro lugares.

A CDU (PCP-PEV) elegeu um vereador, com 7,51% dos votos, menos do que há quatro anos.

José Manuel Silva afirmou que vai iniciar um novo ciclo na cidade, com um município de “portas abertas e janelas arejadas”.

Vamos trabalhar unidos e em conjunto, com uma lealdade crítica para que todos nos possamos melhorar, com as nossas sugestões, com as nossas críticas, que serão sempre bem vindas, governando uma Câmara de portas abertas e janelas arejadas, de forma transparente e para as pessoas”, frisou.

Recebido com um forte aplauso e com gritos de “vitória” na sala de uma unidade hoteleira de Coimbra, José Manuel Silva discursou depois das 01:00, quando era já tida como certa, pela candidatura, a maioria absoluta para a coligação que liderava.

Para o presidente eleito, o resultado alcançado representa uma manifestação de vontade do concelho “de mudança”.

A vitória não é nossa, é de Coimbra. Coimbra vai recolocar-se no patamar que merece e onde já esteve e onde tem todas as condições para voltar a estar”, frisou.

Durante o discurso, no qual repetiu muitas das ideias que abordou em campanha, José Manuel Silva deixou também uma palavra para os trabalhadores do município.

“Foi graças a eles que também fomos eleitos – não tenhamos dúvidas nenhumas. Quero repetir as palavras de liberdade, de confiança, de esperança, de motivação, de trabalho em conjunto, de uma verdadeira liderança que a todos una, para tornar a Câmara de Coimbra e todos os seus serviços naquilo que os cidadãos desejam e anseiam, para também podermos ser, nesse nível, um exemplo para o país”, asseverou.

Manuel Machado assume derrota e diz que PS vai continuar a valorizar Coimbra

O socialista Manuel Machado assumiu a derrota na reeleição para um terceiro mandato consecutivo à Câmara de Coimbra, garantindo que o PS vai continuar a trabalhar e a fiscalizar a atividade municipal.

Abre-se hoje um novo ciclo, mas o PS continuará aqui para trabalhar e para garantir que será feito aquilo que falta e continuaremos aqui para fiscalizar a atividade municipal. Estamos aqui para continuar a valorizar Coimbra”, referiu o candidato, numa declaração à porta da sede de candidatura efetuada depois das 23:00.

Recebido com muitos aplausos pelos apoiantes que o esperavam, Manuel Machado salientou que recebe o resultado que dá a vitória à coligação Juntos Somos Coimbra com “espírito democrático”, frisando que “Coimbra está melhor graças ao nosso trabalho e isso deixa-nos com grande tranquilidade e espírito de missão cumprida, apesar de inacabada”.

“É preciso fazer o que falta para valorizar a nossa cidade. Por isso, não deixaremos órfãos todos os conimbricenses que em nós confiaram”, sublinhou o socialista, salientando que “ao longo desta caminhada demos o que tínhamos, da melhor forma que sabíamos por Coimbra”.

O autarca, que já tinha presidido ao município entre 1990 e 2001, frisou que a sua equipa fez obra, justiça social, “socorreu os mais necessitados” e lançou projetos que estão em curso, sempre de forma séria e honrada”.

Para o candidato socialista, nos próximos quatro anos Coimbra “vai mesmo dar um grande salto no seu desenvolvimento, porque desbloqueámos projetos parados há décadas que agora saíram do papel”.

Manuel Machado fez votos para que não pare o Sistema de Mobilidade do Mondego, que dentro de dois anos deverá estar a transportar pessoas de Serpins (Lousã) para Coimbra, a construção do novo centro de saúde da Fernão Magalhães, que seja decidida a nova maternidade, lembrando ainda que o imbróglio dos jardins do Mondego está resolvido e as “docas” do Parque Verde estão em plena atividade.

Apelando aos apoiantes para que “não desistam nunca”, sublinhando que “só é vencido quem desiste de lutar”, Manuel Machado disse que, oportunamente, vai revelar se assume o cargo de vereador.

Quanto à Associação Nacional de Municípios Portugueses, de que é presidente, referiu que a mudança será efetuada de forma “tranquila” no congresso agendado para dezembro.

Rafaela Laja / - notícia atualizada às 3:02