Simpatizantes e militantes do PCP reconhecem o nome de Francisco Lopes como o do candidato comunista às próximas eleições presidenciais, mas admitem saber pouco sobre ele. Ainda assim, asseguram que o voto é garantido, por confiança no partido, revela a agência Lusa.

Perto da hora do almoço deste sábado eram muitos os que iam chegando ao recinto da Quinta da Atalaia (Seixal), para mais uma edição da Festa do Avante!. As sombras iam sendo poucas para abrigar do calor os que esperavam pelo almoço e pelo arranque da festa propriamente dita, sobretudo os concertos mais ao final do dia.

Mas com um carácter vincadamente político, o Avante! atrai também muitos militantes e simpatizantes que comparecem para ouvir os discursos dos dirigentes e que acompanham, de forma mais ou menos interessada, a actividade partidária do PCP (Partido Comunista Português).

Questionados pela Lusa, quase todos identificaram Francisco Lopes como candidato do PCP às próximas presidenciais, mas à pergunta: «Que ideia tem do candidato?», as várias respostas podiam traduzir-se numa palavra: «vaga».

Ermelinda Basílio, militante do PCP, ainda teve dúvidas sobre quem seria Francisco Lopes, quando questionada sobre isso, mas acabou por descrever o candidato presidencial como «um homem sério, honesto e muito respeitado», cujo principal contributo na sua campanha será o de «ajudar a esclarecer o povo e dar oportunidade aos comunistas de fazerem uma escolha mais consciente». Sobre os méritos e currículo do candidato, não soube responder.

Também Teresa Alves, simpatizante do partido, admite «não conhecer bem» o candidato, ainda que acompanhe «por alto» a actividade partidária. No entanto, acredita que Francisco Lopes «tem potencial» para fazer frente a Manuel Alegre e Cavaco Silva.

Opinião contrária tem a simpatizante do PCP Maria Eduarda, que foi este ano pela primeira vez à Festa do Avante!. «Acho que o PCP tinha lá melhor para escolher. É um candidato pouco conhecido, mas vou votar nele só pela confiança no partido», disse Maria Eduarda à Agência Lusa, reconhecendo que as suas expectativas para um bom resultado eleitoral são baixas.

Votar em Francisco Lopes por ser electricista

Jaime Domingos, simpatizante, acredita que «é provável» que o partido tenha feito «uma boa escolha» e admite que vai votar em Francisco Lopes, ainda que os motivos estejam longe de ser políticos.

«Ele é electricista como o meu filho, e o meu filho diz que vai votar no colega», disse Jaime Domingos, que se prepara para seguir o exemplo do descendente.

Armelim Azevedo, militante comunista desde o 25 de Abril, acha positivo que o partido apresente às presidenciais um candidato próprio e garante que não votaria em nenhum dos outros que concorrem sem o apoio do PCP.

Sobre Francisco Lopes, pouco sabe e a justificação do seu voto é simples: «Não sou daqueles militantes activos, mas se o partido o indica, é porque tem condições».