A corrente do Bloco de Esquerda (BE) «Luta Socialista» vai propor à direcção do partido que equacione retirar a confiança política ao vereador da câmara lisboeta Sá Fernandes e «reequacione o acordo» da autarquia da capital, informa a Lusa.

«Vamos propor que a mesa nacional reequacione o acordo [com o PS] aprovado para a Câmara de Lisboa. José Sá Fernandes não pode pôr em causa o apoio do Bloco», disse Isabel Faria, da corrente «Luta Socialista», que integra membros da Ruptura-FER (Frente de Esquerda Revolucionária), independentes e sindicalistas.

CML: Sá Fernandes insiste em empréstimo

BE acusa Governo de irresponsabilidade

A polémica começou com a entrevista do coordenador da comissão política do BE, este sábado à TSF e DN, em que Francisco Louçã recusou qualquer acordo com o PS para as eleições autárquicas em Lisboa, em 2009.

Na resposta, o vereador José Sá Fernandes, eleito como independente nas listas do Bloco, não excluiu a renovação do acordo com PS, afirmando ainda ser cedo para se «estar a analisar essa questão».

«José Sá Fernandes não pode pôr em causa o apoio do Bloco, tem que se sujeitar, enquanto eleito nas listas do BE, às decisões do partido», disse Isabel Faria.

Isabel Faria defende que o BE «equacione a retirada da confiança política a José Sá Fernandes e a revogação do acordo de Lisboa».

Num comunicado, a corrente bloquista é mais severa com Sá Fernandes e adverte que «quem decide a posição do Bloco de Esquerda são os seus órgãos democraticamente eleitos».

«Quem decide se é tarde ou cedo para tomar essas decisões e torná-las públicas, são os órgãos do Partido, democraticamente eleitos. Sá Fernandes não é dirigente do Bloco, nem sequer seu militante», lê-se no texto.

Para este grupo de dirigentes bloquistas, que se opôs ao acordo com o PS após as eleições intercalares de Julho de 2007, «não se pode permitir que Sá Fernandes esteja na Câmara de Lisboa a fazer oposição ao Bloco de Esquerda».
Redação