“Passos Coelho e Paulo Portas mostram uma preocupação social hoje que depois do que fizeram em quatro anos não pode ser levada a sério”, disse aos jornalistas Catarina Martins, à margem da apresentação dos candidatos do Bloco de Esquerda (BE) pelo Algarve, em Portimão.


“O engano da coligação é achar que as pessoas em Portugal vão continuar a ser enganadas, mas a realidade é muito mais forte do que qualquer propaganda”, destacou.


“Uma ideia de plafonamento que o próprio PSD em 2007 reconhecia que obrigaria a uma injeção na segurança social de nove mil milhões de euros, mais a alienação do fundo de capitalização, portanto uma ideia destruidora da Segurança Social”, sublinhou.




“É fazer Parcerias Público Privadas (PPP) para garantir rendas a privados de todas as funções do Estado, e esse é o caminho da bancarrota”, frisou, acrescentando que “este é o caminho que Portugal já conhece e que endivida mais o país, com a dívida a crescer ao ritmo de 1,5 milhões de euros a cada hora”.