Manuel Grilo é o substituto de Ricardo Robles na vereação bloquista na Câmara Municipal de Lisboa.

A escolha foi divulgada em nota publicada no site do partido, que indica que a Comissão Política aceitou o pedido de renúncia feito no domingo por Robles.

A mesma nota refere que Rita Silva, elemento que sucedia na lista eleitoral do Bloco de Esquerda a Ricardo Robles, "manifestou a sua indisponibilidade para assumir o cargo, tendo em conta as responsabilidades dirigentes que tem num movimento social e que considera incompatíveis com o exercício do cargo de vereadora".

Manuel Grilo, de 59 anos, professor e membro do Conselho Nacional de Educação, era o terceiro na lista e assume a vereação do Bloco na Câmara de Lisboa.

O partido indica que Manuel Grilo "dará continuidade às responsabilidades executivas que o Bloco de Esquerda tem na Câmara Municipal de Lisboa, no quadro do acordo político celebrado entre o Bloco de Esquerda e o Partido Socialista".

Ricardo Robles anunciou hoje a renúncia como vereador do BE da Câmara de Lisboa, afirmando ser "uma decisão pessoal" com o "objetivo de criar as melhores condições para o prosseguimento da luta do Bloco pelo direito à cidade".

A demissão surge na sequência de uma notícia avançada na edição de sexta-feira do Jornal Económico segundo a qual, em 2014, o autarca adquiriu um prédio em Alfama por 347 mil euros, que foi reabilitado e posto à venda em 2017 avaliado em 5,7 milhões de euros.

"Informei ontem, domingo, a coordenadora da Comissão Política do Bloco de Esquerda da minha intenção de renunciar aos cargos de vereador na Câmara Municipal de Lisboa e de membro da comissão coordenadora concelhia de Lisboa do Bloco de Esquerda", refere uma nota a que agência Lusa teve acesso.

Esta é, de acordo com Ricardo Robles, "uma opção privada, forçada por constrangimentos familiares" e "no respeito pelas regras legais", para ultrapassar aquilo que se tornou "um problema político real" e que criou um enorme constrangimento à "intervenção como vereador".

/ LCM com Lusa