A coordenadora do BE, Catarina Martins, afirmou esta quarta-feira que a reunião marcada pelo Governo sobre Orçamento do Estado é técnica e não de negociação, considerando que são as votações na especialidade que “mostrarão a vontade de fazer a convergência”.

Após uma reunião com a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, em Lisboa, Catarina Martins foi questionada sobre a reunião pedida hoje pelo Governo com o BE sobre o OE2021, deixando claro que “é uma reunião para conversar sobre o decurso de especialidade”, ou seja, “é uma reunião técnica, não de negociação”.

Interrogada sobre como pode então haver negociações até sexta-feira, quando começa o período da especialidade em que são votadas as propostas de alteração, a líder do BE respondeu: “há votações e as votações mostrarão a vontade de fazer a convergência”.

Naturalmente, o Bloco de Esquerda tem a disponibilidade para qualquer reunião, mas não vale a pena estarmos aqui a fazer uma novela sobre reuniões ou não reuniões”, desvalorizou.

Assim, o que interessa para o BE “é saber se há um orçamento que é capaz de responder à crise ou não”.

“O Bloco de Esquerda, para facilitar a vida, para não criar ruído, apresentou apenas 11 propostas, que respondem a 12 medidas que têm a ver com a capacidade do SNS de responder à crise, com a proteção social de quem perdeu tudo com a crise, com a proteção para travar a onda de despedimentos e com a transparência e exigência do uso dos dinheiros públicos”, sintetizou.

Estas medidas, recordou Catarina Martins, não a proposta inicial do BE, mas aquelas a que se chegou “depois de quatro longos meses de negociação”, assegurando que os bloquistas se aproximaram “das posições do Governo”.

O BE pode fazer a sua parte, não podemos fazer a parte do PS, isso é com eles”, desafiou.

Na quarta-feira à noite, fonte bloquista já tinha adiantado à agência Lusa que o Governo não tinha “novas propostas ou respostas a apresentar” na reunião que pediu para hoje sobre o OE2021, sendo esta para consultar a posição bloquista em votações na especialidade.

Nessa tarde, no Palácio de Belém, após ter sido recebido em audiência pelo Presidente da República, o secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, anunciou que o Governo iria retomar na quinta-feira as negociações com os partidos à esquerda sobre o Orçamento do Estado para 2021, nomeando em concreto o Bloco de Esquerda.

Depois deste anúncio de José Luís Carneiro, o Governo confirmou, à agência Lusa, que na quinta-feira terá uma reunião com o Bloco de Esquerda sobre o Orçamento, mas considerou não haver ainda expectativas de mudança de posição dos bloquistas, que votaram contra a proposta na generalidade.

A votação final global do Orçamento do Estado para 2021 está agendada para 26 de novembro.

A proposta do Governo foi aprovada na generalidade em 28 de outubro com votos a favor apenas do PS, abstenções de PCP, PAN e PEV e votos contra de PSD, BE, CDS-PP, Chega e Iniciativa Liberal.

/ RL