O candidato do PS à Câmara Municipal de Lisboa, que é também o presidente da autarquia, desvalorizou esta segunda-feira a questão das sondagens, afirmando que a decisão final é da população.

Confrontado com um cenário em que não tem maioria absoluta, Fernando Medina diz que se vai "bater pelo melhor resultado possível", afirmando que "nenhuma sondagem ganhou nenhuma eleição", recusando comentar eventuais coligações após o dia 26 de setembro.

Este é o tempo dos lisboetas se pronunciarem", vincou.

Questionado diretamente sobre negociações com Bloco de Esquerda e PCP, o candidato socialista diz que, para existirem entendimentos, é importante que haja "vontade política", preferindo aguardar pelos resultados para depois encontrar soluções.

Ainda assim, e deixando uma bicada nos parceiros de coligação, Fernando Medina atirou a seguinte frase: "Nunca foi por nós que os entendimentos à esquerda não se fizeram de forma mais sólida".

Esta posição, assegura o autarca, é apenas referente ao que aconteceu no passado.

Cada um assumirá as suas responsabilidades. O que posso dizer é que me vou bater pelo melhor resultado possível, temos o melhor programa, a melhor equipa", afirmou.

Sobre a candidatura de Carlos Moedas, que encabeça a coligação Novos Tempos, formada por PSD, CDS, Aliança, PPM e MPT, Fernando Medina diz que é um projeto que "não funciona", uma vez que confia no mercado para a questão imobiliária, e os preços em Lisboa estão altos.

Nesse sentido, entende o candidato do PS que o debate na TVI24 foi esclarecedor "sobre as diferenças" entre candidaturas.

Depois de ter dito que não iria entregar um pelouro a Carlos Moedas caso fosse eleito, Fernando Medina reafirmou essa intenção: "Não é minha perspetiva entregar pelouros ao PSD, nem tenho nenhuma expectativa que o PSD entregue pelouros ao PS caso ganhe as eleições".

Há divergências políticas profundas. A campanha de Carlos Moedas e PSD dignifica pouco o debate político, sempre a dizer mal de tudo. É um discurso com muita maledicência", acrescentou.

As eleições autárquicas realizam-se a 26 de setembro. Além de Fernando Medina pelo PS e de Carlos Moedas pela coligação Novos Tempos, concorrem à Câmara Municipal de Lisboa João Ferreira (da CDU), Beatriz Gomes Dias (Bloco de Esquerda), Manuela Gonzaga (PAN), Nuno Graciano (Chega), Bruno Horta Soares (Iniciativa Liberal), Bruno Fialho (PDR), Tiago de Matos Gomes (VOLT), Sofia Afonso Ferreira (Nós, Cidadãos!), João Patrocínio (Ergue-te!) e Ossanda Liber (grupo de cidadãos).

António Guimarães